sábado, 24 de fevereiro de 2018

.Ótima análise da música "Minha alma" de O Rappa,  realizada pela aluna Rafaela Carrer em 2017, hoje aluna do 3º A.

A música "Minha alma" traz implícito em sua composição uma mensagem diretamente relacionada a alienação.
Retrata uma comunidade que é injustiçada pelo preconceito que é imposto.
Todos estão cegos, pois acham que aquela situação é a correta e só observam porque esta ´foi a atitude que impuseram aos indivíduos e por "entenderem" que isto é o normal. Não pensam, não vão contra os ideais impostos, só vegetam, pois estão alienadas.
Porém, quando alguém salva a própria mente dessa alienação, acontece o caos, que por sua vez, destrói tudo o que foi construído com amor, carinho, paz.
Mesmo com o caos ocorrendo, muitas pessoas ainda não conseguem se salvar e com isso, só olham e não se movem para mudar, para ajudar quem está sendo injustiçado.

sábado, 29 de julho de 2017

O 1º B em 2017 está participando da atividade "Cinema Sociológico".
A sala assistirá uma série de filmes para instigar debates sociológicos.
Após assistirem será realizada discussão em grupos. Os grupos então escreverão uma resenha crítica do filme e as melhores resenhas serão publicadas no blog.

O primeiro filme assistido foi "O Senhor das Moscas"
Sinopse da Folha de S.Paulo

Um avião lotado de crianças e adolescentes cai numa ilha deserta. Os jovens sobrevivem e, aos poucos, vão se reunindo num grande grupo. Em assembléia, os meninos designam um líder. Longe dos códigos que regulam a sociedade dos adultos, esses jovens terão de inventar uma nova civilização, alicerçada exclusivamente nos recursos naturais da ilha e em suas próprias fantasias.

Até aí este romance do inglês William Golding poderia ser lido como simples aventura infanto-juvenil, cheia de caçadas, banhos de mar e, ao final, a descoberta de um tesouro escondido por piratas. Mas não é o que ocorre. Apesar dos esforços iniciais de organizar uma sociedade auto-suficiente e equilibrada, o bando vai progressivamente cedendo à vida dos instintos, regredindo às pulsões de violência e de morte. A disputa pelo poder é um dos estopins da desordem. E o paraíso do "bom selvagem" acaba em carnificina.

Invertendo o clássico Robinson Crusoé, de Daniel Defoe, em que um único indivíduo conseguia impor a civilização ao estado de natureza, Golding expressa neste romance sua descrença na bondade inata dos homens e em sua capacidade de criar um mundo melhor.

Lançado em 1954, menos de uma década após os campos de concentração nazistas e a bomba de Hiroshima, o livro carrega esse destino já no título: "Senhor das Moscas" é a tradução literal da palavra hebraica Ba'alzebul - em português, "Belzebu".



Resenha Crítica do Filme o “Senhor das Moscas”

Resenha escrita por: Abner Lima Constâncio, Bruno Antônio e Wesley – 1º B – 2017
O filme retrata a vida sem regras e sem civilização. Como o comportamento muda diante da solidão intensa e porque alguns comportamentos mudam e outros não.
Conta a história de um grupo de meninos que naufragaram em uma ilha, sendo Ralph o menino mais maduro do grupo.
Nos primeiros dias todos estão bem, mas de repente um integrante do grupo se revolta e decide seguir seu próprio caminho (logo fica claro que ele não queria sair da ilha).
A partir deste ponto a vida sem civilização e regras começa a se manifestar como violência, brutalidade e principalmente assassinatos.
Algo importante a se dizer é porque alguns meninos, três, não perderam sua consciência e viraram selvagens como os outros?
E a resposta a esta pergunta é que a mente destes meninos era diferente, eles queriam voltar para casa e sabiam que se revoltar não era a melhor maneira.
No desfecho do filme vemos alguém alcançar o que esperava (liberdade da ilha) e outros sem saber o que fazer.



Resenha escrita por Maria Eduarda F. 1º B

O Senhor das moscas é um filme, uma história que se passa com um grupo de meninos praticamente crianças estudantes de nove a quinze anos de idade, que pertenciam a uma academia militar. Eles acabam sofrendo um acidente aéreo e caindo em uma ilha deserta.
Quando eles chegam na ilha tratam como férias e diversão em um paraíso, porque eles estão em uma ilha sem adultos, mas eles estão em uma ilha e precisam lutar pela sobrevivência...
Nem todos os elementos do grupo aceitam isso, um deles propõe que é melhor se dedicarem a caça e brincadeiras dando solução fácil e satisfação a seus companheiros. Alguns seguem o rebelde e se desfazem do resto do grupo.
No início do filme o grupo vivia unido e havia um comandante, mas com a aparição do rebelde o comandante foi ficando cada vez mais isolado, mas ele não cede as suas convicções e no que ele considerava melhor para o bem de todos, com isso a sua firmeza é insuportável para seus inimigos e o garoto que se rebela cria ódio, a ponto de querer matar o garoto que é o comandante, mas antes o grupo que se rebelou já havia matado dois integrantes do grupo do comandante. Um morreu espetado por lanças e varas e outro com uma pedra que foi jogada em sua cabeça.
O comandante é apenas um só, que não havia se juntado com o “rebelde”, quando o grupo rebelado se junta para matar o comandante chegam helicópteros de resgate
O filme acaba deixando a história em aberto para e espectador/leitor. Se chama o Senhor das Moscas talvez porque um será líder, senhor, e os outros escravos, as moscas.

Filme disponível no youtube:




Movimentos Sociais - Trabalhos apresentados pelo 3º C Noturno

No segundo Bimestre os alunos do terceiro ano do ensino médio trabalharam os Movimentos Sociais.
Como avaliação do aprendizado os alunos apresentaram um seminário. Cada grupo escolheu um movimento social para estudo e apresentação.
Os trabalhos foram muito significativos e as apresentações de alguns grupos demostraram o envolvimento  em estudar o tema.
Estes são alguns trabalhos apresentados pelos alunos em sala de aula.

Movimento dos trabalhadores sem teto
Alunos: Jonas Davi Saceli e leidiane N. R. Saceli
Movimento Negro
Alunos:Viviam, José Augusto, Pedro e Guilherme



Movimento Ambientalista
Realizado por alunos do 3A










domingo, 11 de junho de 2017

Estas músicas foram criadas por alunos do primeiro ano do ensino médio (1º A) em 2016. Discutem a desigualdade social.
Na primeira música os alunos criaram a letra e a melodia, e na segunda os alunos utilizaram uma base e criaram a letra.
Foi um ótimo trabalho. Fiquei surpresa com a criatividade!


 Essa é a história
de um garoto inocente
e desde pequeno
era excluído por muita gente

Um coração ardente
um longo caminho pela frente
ele se tornou um grande vencedor
um dia seu pai lhe disse: "Meu filho seja um doutor"

As pessoas o humilharam
ele sempre suportou
as críticas o abalaram
mas ele se levantou

Um sonho ele tinha
então a todos avisou
que um dia ganhara
e advinha, ele ganhou

Vou tentar
e sempre vou levantar
o desejo de meu pai
eu vou realizar
Então eu vou tentar
e sei que vou conseguir
não importa o que aconteça
ninguém vai me impedir

Um sonho consegui
uma família construí
porque eu nunca...
nunca desisti

Essa é minha história
essa é minha vida
e a partir de agora
eu sigo minha trilha

Um objetivo encontrei
e realizei
conquistei tudo que quis
até o último suspiro lutei

Então comigo eu levava
aquele sonho carregava
decidi correr atrás
e mostrei do que era capaz

Vou tentar
e sempre vou levantar
o desejo de meu pai
eu vou realizar
Então eu vou tentar
e sei que vou conseguir
não importa o que aconteça
ninguém vai me impedir

Então eu vou tentar
e sempre vou levantar
o desejo de meu pai
eu vou realizar
Então vou tentar
e sei que vou conseguir
Não importa o que aconteça
com um sorriso vou seguir.

Autores: Bruno, Jenifer, Letícia e Vitória





Eu só quero igualdade
sem desprezo, com humildade.
Racista quero longe!
Por perto só os de verdade.

Preto e branco tanto faz
Espalhe amor pra ter paz
Pra que tanto preconceito?
Se somos todos iguais
Onde vamos parar?
mortos por todo lugar.
Um aperto no gatilho
É uma vida que se vai

E aí
Não tem volta!
Além da saudade
No ar deixou revolta

Eu quero igualdade
Uma vida sem preconceito.
Não posso me expressar
só porque eu vim do gueto?

Sou do gueto sim
sou sofredor também.
Não quero só o mundo
quero ir mais além.







Aqui será um espaço para mostrar os trabalhos dos alunos do ensino médio nas aulas de sociologia, quebrando assim o mito que aprender sociologia é difícil e chato.